Desculpem-me, falsos libertários, mas o capitalismo requer a anarquia

Esta é uma tradução do texto de Christopher Cantwell. O original está aqui.

Eu acabei de ler um artigo doído na Forbes intitulado “Sorry Libertarian Anarchists, Capitalism Requires Government“ (Desculpem-me anarco libertários, mas o capitalismo requer o governo). Ele foi escrito por um contribuidor chamado Harry Binswanger, que ironicamente diz defender o capitalismo laissez-faire, exceto por, você sabe, aquelas coisas que ele quer que o governo faça.

Para piorar, ler tal artigo me fez lembrar de um amigo que linkou a um artigo esquerdista no Center for a Stateless Society (Centro por um sociedade sem estado) intitulado “Anarcho-”Capitalism” Is Impossible“ (O anarcocapitalismo é impossível), onde uma anarquista esquerdopata chamada Anna Morgenstern disse basicamente a mesma coisa, mas preferindo um mundo de fantasia econômica anarquista de esquerda com resultados iguais para todo mundo aos governantes benevolentes imaginários de Harry. Na verdade, eu não devo chamá-la de esquerdopata. Para uma esquerdista, ela na verdade conseguiu fazer um argumento coerente, apesar de facilmente refutável, do qual eu falarei em um artigo diferente, porque eu tenho bastante coisas para falar sobre o artigo da Forbes.

Imagine, a Forbes e o C4SS se juntando contra os AnCaps… Agora eu tenho uma dor de cabeça, e não consigo dormir.

Para o crédito de Harry, ele transformou em queijo suíço alguns daqueles mesmos argumentos “voluntaristas” incoerentes que eu já gastei muito tempo refutando. Harry reconhece, assim como eu, que a força é uma função necessária da sociedade humana. Essencialmente, todas essas conversas são sobre, quando e como usar a violência física para moldar o curso da sociedade humana. A maioria das pessoas que se chamam de anarcocapitalistas ficam muito desconfortáveis com esta realidade, então elas não gastam muito tempo pensando nisso. Elas preferem de longe gastar o tempo delas fumando maconha, e devemos agradecê-las por fazerem isso, uma vez que a violência é quase que universalmente intolerável na sociedade polida. Por isso no entanto, elas ou negam que a força será necessária, ou não têm ideias coerentes de como ela será aplicada em uma sociedade livre.

Eu também suspeito que Harry, assim como eu, tem gasto um bom tempo falando com pessoas que não são anarcocapitalistas na verdade. Muitas dessas pessoas na verdade são anarquistas-esquerdistas-de mercado como Anna. Não capitalistas, mas esquerdistas que simplesmente estão desesperadamente tentando inserir algo parecido com um raciocínio econômico coerente em suas fantasias esquerdistas sobre uma igualdade de resultados universal. Quando alguém tenta aplicar economia racional à igualdade universal, nós não devemos agir surpresos quando ele falhar, e minarquistas como Harry não devem declarar vitória para suas justificações de iniciação de violência, somente porque eles venceram um oponente fraco intelectualmente.

Assim como outros fetichistas do governo limitado, Harry tem um conto de fadas romântico em sua mente sobre a uma vez grande república Americana. Ele fala muito sobre um governo “limitado” “apropriadamente” que uma vez existiu mas que somente recentemente foi traído por alguma força não nomeada.

binswanger

A genialidade do sistema americano é que ela limitava o governo, o cerceando através da Constituição, com um sistema de freios e contrapesos e a provisão de que nenhuma lei poderia ser aprovada a menos que fosse  “necessária e apropriada” para o único propósito do governo: a proteção dos direitos individuais– protegê-los contra a sua violação através da força física.

O fatos sejam malditos, este cara pensa que a constituição já significou algo, e ainda mais histericamente, ele parece pensar que ela poderá significar a mesma coisa no futuro se ele somente reclamar o suficiente. Eu imagino se ele já leu a Constituição da Coréia do Norte, ou a da União Soviética, ou a da China maoísta? Continuar lendo

Publicado em Anarcocapitalismo, Capitalismo, Libertarianismo | Marcado com , | Deixe um comentário

A verdade, completa e inegável

Esta é uma tradução de um texto do libertário americano Larken Rose. O original, em vídeo, esta aqui.

por Larken Rose.

Você não pode imaginar de quantas maneiras diferentes o mundo é diferente do que te ensinaram a acreditar que ele fosse. Você vê o cara que vende drogas para consumidores voluntariamente para que ele possa alimentar sua família como a “a escória da Terra”, enquanto você vê o hipócrita que dá dinheiro roubado em nome do governo como um santo!

Você vê o cara que tenta se defender do roubo praticado pelos bandidos estatais como um safado e sonegador, mas vê como virtuoso o político que dá esse espólio para pessoas a quem ele não pertence. Você vê o policial como um cara bom quando ele retira um homem de perto de seus amigos e família e o joga na prisão por dez anos por ele ter fumado uma folha. E você vê qualquer um que se defenda desse fascismo bárbaro como “a mais baixa forma de vida”; Um assassino de policiais.

Na realidade, a maior parte dos vendedores de drogas é mais virtuosa que qualquer trabalhador social do governo. E prostitutas têm de ter muito menos vergonha que qualquer político safado porque elas só trocam o que é delas de direito, e somente com aqueles que querem trocar com elas. O cidadão de nariz em pé, que vai à igreja e paga seus impostos e vota em republicanos ou democratas é muito mais desprezível e uma maior ameaça à humanidade do que o hippie mais promíscuo, preguiçoso e cheirador de rogas. Por quê? Porque o hippie está disposto a deixar os demais serem LIVRES e o eleitor NÃO. O dano causado à sociedade por hábitos ruins não é NADA comparado à violência auto-justificada em nome do Estado.

Vocês se imaginam como caridosos e tolerantes quando vocês na verdade não são nada do tipo. Até mesmo os nazistas tinham bons modos quando eles não estavam matando pessoas. Vocês se acham “boas pessoas” porque vocês dizem “por favor” e “obrigado”? Você pensa que sentar naquela grande construção no domingo te faz nobre e correto?

A diferença entre vocês e um ladrão comum é que o ladrão tem a honestidade de cometer o crime por ele mesmo, enquanto você fica chorando para que o governo roube por você.  A diferença entre você e um bandido de rua é que o bandido é mais claro sobre a violência que ele comete, enquanto você deixa outros controlarem seus vizinhos em seu lugar. Você apoia o roubo, perseguições, violência e até assassinato mas não aceita responsabilidade por esses atos.

Vocês que são mais velhos querem que o governo roube de suas crianças para que você receba seu pagamento mensal. Seus pais querem que seus vizinhos sejam roubados para que a escola de suas crianças seja paga. Vocês votaram em qualquer safado que prometa roubar dinheiro de outras crianças para pagar pelo que VOCÊS querem.

Você demanda que pessoas que se comportam de um modo que você não aprova sejam arrastadas e trancafiadas mas não se culpa pelas incontáveis vidas que seus desejos destruíram. Vocês ainda chamam os bandidos do governo de seus “representantes”, e você NUNCA se responsabilizam pelo mal que eles cometem. Você orgulhosamente da apoio às tropas matarem quem quer que seja que os mentirosos de Washington DC as  mandam matar e você se sente BEM com isso. Vocês se chamam de Cristãos ou Judeus ou dizem seguir alguma religião, mas a verdade é que o que você chama de religião não passa de enfeite. O que você REALMENTE adora; O Deus que você REALMENTE reverencia; O quê você realmente acredita em, é o ESTADO.

Tu não roubarás, tu não matarás — a menos que você possa fazê-lo através do governo. Se assim for, tudo bem, não é mesmo. Se for chamado de impostos ou guerra para de ser pecado, certo? Afinal, foi somente seu “Deus” quem disse que você não deveria matar ou roubar… mas o Estado disse que tudo bem. É bem óbvio qual deles tem maior importância em suas mentes. Apesar de todas as igrejas e sinagogas e mesquitas nós vemos que esta nação tem Um Deus e somente Um Deus, e tal Deus é chamado de Governo. Continuar lendo

Publicado em Libertarianismo | Marcado com | Deixe um comentário

Mulheres na ciência e a praga do politicamente correto

Recentemente fui chamado a atenção ao vídeo a seguir, onde um famoso cientista dá a resposta à pergunta “O que se passa com as garotas e a ciência?”. Tal resposta foi chamada de nada mais nada menos que sensacional, mas tal resposta foi somente uma evasão travestida:

0:42 Logo de cara, o famoso astrofísico Neil deGrasse Tyson já parte para uma falsa comparação entre a situação de discriminação sofrida pelos negros, do qual ele é exemplo, e as mulheres. Ocorre que isto ignora que as diferenças genéticas relevantes comprovadas entre negros e brancos são pouco relevantes (estes têm maior capacidade de produção de vitamina D, aqueles, maior resistência à radiação solar), ao passo que as diferenças genéticas entre homens e mulheres são diversas. A diferença mais clara e relevante é a da quantidade de testosterona livre, de 20 a 30 vezes maior nos homens(1). Este hormônio além de estimular a síntese de músculos e aumentar a libido, também ajuda em concentração, foco, determinação, e estabiliza o humor(2), e todas essas características são importantes em um cientista de alto nível.

0:58 O cientista aqui diz que há uma semelhança entre a discriminação que sofrem negros e mulheres, mas ignora, convenientemente que através de todo o mundo ocidental as mulheres têm privilégios legais, como por exemplo serviço militar obrigatório apenas para homens, vagões exclusivos para mulheres em transporte público, leis de pensão alimentícia e violência doméstica draconianas(3)

1:16 A coisa piora. Pelo minuto e pouco seguinte, Tyson completamente foge do assunto, e lança-se subrepticiamente a uma campanha de auto-engrandecimento, querendo mostrar o quanto ele é incrível por ter superado diversas barreiras para tornar-se o que é hoje. Mas. ele ignora que qualquer pessoa disposta a se lançar em uma empreitada difícil e sem garantias irá enfrentar resistências por parte da “maioria das pessoas”. De fato, Tyson, merece sim, muito apreço por tudo que ele fez, mas meu questionamento é quanto ao uso egocêntrico que ele deu de sua trajetória para desqualificar a pergunta em questão.

2:30 Ser um cientista não é coisa fácil. Vemos um exemplo claro aqui, de um astrofísico demonstrando a incapacidade de sequer considerar que existam diferenças genéticas relevantes entre homens e mulheres, e prefere atribuir a escassez de mulheres na ciência a uma suposta pressão social. Tyson diz que se pergunta o porque de pessoas como ele não chegaram aonde ele chegou, mas já vem com a resposta pronta, e tenta sutilmente desqualificar a questão tratada. O fato de um cientista mundialmente famoso cair nessa armadilha,só demonstra como fazer ciência é algo realmente difícil, que irá ainda mais vezes aqueles com baixa testosterona do que aqueles com alta.

2:44 Para terminar, uma anedota, que comprova que existe racismo, mas que só serve para ser um apelo emocional, terminando de encerrar o debate. Faltou ao eminente físico explicar como que alguém te confundir com um ladrão o impediria ou atrapalharia de se tornar cientista. De fato, para se tornar cientista não é necessária a aprovação sequer de universidades conceituadas, da sociedade, ou muito menos de um balconista aleatório de uma loja aleatória, mas tão somente uma mente dedicada a encontrar a verdade, conforme os exemplos de Tesla, Rothbard, Eratóstenes(4) e tantos outros demonstram. Uma pena que este cientista específico tenha deixado seus próprios preconceitos interferirem na busca pela verdade.

1.http://pt.wikipedia.org/wiki/Testosterona#cite_note-1

2.http://www.webmd.com/men/features/how-low-testosterone-affects-your-health

3.http://www.avoiceformen.com/mens-rights/domestic-violence-industry/when-a-girl-hits-you/

4.http://pt.wikipedia.org/wiki/Erat%C3%B3stenes

Publicado em Sem categoria | 2 Comentários